O aguardado capítulo final da segunda trilogia chegou às telas em 2005, mostrando como Anakin Skywalker se tornou Darth Vader. A corrupção da mente do cavaleiro Jedi mais poderoso da época pelo então Chanceler Palpatine acontece em um período crucial das guerras clônicas e da vida pessoal do atormentado Anakin. Com a esposa Padmé Amidala grávida, ele pressente uma tragédia – é o caminho traçado para Palpatine explorar seu ponto fraco.
Enquanto a república perece, surge o Império que dominará a galáxia da primeira trilogia. Em diferentes campos de batalha, Obi-Wan Kenobi, Mestre Yoda, Mace Windu e os demais cavaleiros Jedis travam batalhas que terão um fim inesperado levando o filme a se tornar o mais dramático capítulo da saga. Se a traição é o grande mote, o filme explora também as franquezas humanas.
Fechando um ciclo, o filme traz as respostas que os fãs aguardaram por décadas. Dirigido por George Lucas, tem no elenco Ewan McGregor, Natalie Portman, Hayden Cristensen, Ian McDiarmid, Samuel L Jackson, Frank Oz, Anthony Daniels, Cristopher Lee.

 

EPISÓDIO III
"A vingança do Sith "

 

Revenge of the Sith

 

PONTO ALTO

 

RESUMO
CRÍTICAS

 

menu principal

 

 

 

RESUMO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltar

 

 

 

 

PONTO ALTO

 

 

 

 

A ação comanda a segunda parte do filme, a melhor indiscutivelmente. Como na primeira trilogia, há realmente algo importante acontecendo em várias frentes. É desta parte do filme, a sequê

Palpatine dá a ordem para a eliminação de todos os Jedis.

OBS:A maquiagem de Palpatine "Ian Mc Diarmid" concorreu ao Oscar em 2006.

ncia mais impactante talvez das duas trilogias: a eliminação dos Jedis.  
O combate tão esperado entre Anakin, já alçado à categoria de lorde sith e o sobrevivente Obi-Wan tem coreografia eletrizante e é muito bem encenada.
Também é muito bacana notar a amarração com o episódio IV, feita com cuidado e não deixando nenhuma lacuna em aberto, mesmo tendo uma diferença de 18 anos em relação à cronologia da saga que marcou a história do cinema. Destaque para a construção da Estrela da Morte, a nave do senador Organa, de Alderaan – onde começa o episódio IV e para o fim melancólico no planeta Tatooine.  E não poderia esquecer da aparição de Chewbacca e o nascimento de Luke e Léia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Transformação está próxima!
A mente do atormentado
Anakim sendo corrompida pelo então Chanceler Palpatine
A tragédia anunciada !

 

 

Em meio a um mar de larva a batalha mais esperada e a mais cruel de todas. Porém com cenários virtuais duvidosos.

 

 

 

 

A nave do Senador Organa, perfeita sincronia com o 1º episódio da Saga, o IV.

 

 

A primeira aparição e o Planeta de Chewbacca.

 

 

 

 

CRÍTICAS

 

Voltar
Voltar

 

Voltar
Voltar

 

 

O filme é um pouco arrastado na primeira parte. E tem soluções às vezes pouco exploradas, como o fim da luta entre Yoda e o Imperador ou a própria morte de Padmé. Mas o aspecto mais frustrante foi o efeito especial da luta entre Anakin e Kenobi, que apesar de ser muito bem coreografada fica comprometida pelo aspecto visual dos cenários virtuais, em alguns momentos muito toscos mesmos.
Se George Lucas pecou muito nos diálogos fracos da nova sequência (como: Anakin, you broke my heart, de Padmé), uma frase do atormentado Lord Vader ainda em forma humana talvez traduza o que George quis enfatizar com a transformação da República em Império: em regimes totalitários não há espaço para uma segunda visão. Quando Anakin diz a Obi-Wan Quem não está ao meu lado é meu inimigo, ele resume do que se trata politicamente a saga. E o posicionamento político, não resta dúvida, é referência direta à política adotada por George W. Bush no momento da concepção e lançamento do filme.  

 

O nascimento de Luke e Léia.

 

 

 

A luta entre Yoda e o Imperador, entre outras, poderia ter sido melhor.

 

 

 

 

 

Obi-Wan Kenobi defefnde a República em um fim inesperado!

 

 

 

 

Voltar